Category Archives: SQLServerPedia syndication

AWS – EC2 com SQL
0 (0)

Caso você contrate uma AMI com SQL e precise da mídia de instalação do SQL para qualquer atividade, na unidade C:\ existe um diretório chamado “SQLServerSetup” com os binários para a instalação do SQL Server.

Isso ajuda caso precise trocar o Collation da instância, adicionar feature, reinstalar usando uma instância, adicionar uma instância, etc..

A instalação padrão vem na instância default, collation SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS, tempdb nas configurações NNF, sem IFI, basicamente uma instalação NNF.

Aí vem outra pergunta, por que pegar uma imagem da AWS com SQL? por que não usar um RDS?

Bom, a resposta disso é mais com você do que comigo, porque tudo vai depender da necessidade.

AMI – EC2 com SQL Instalado

  • As imagens da AWS com SQL instalado vem em diversos sabores, você escolhe o tamanho da máquina e o tipo de licenciamento STD ou ENT, eles tem developer mas se optar por esse developer você vai pagar um custo pela licença de uma aplicação que pode ser baixada gratuitamente, e ai o preço desse licenciamento do STD ou ENT vai depender do tamanho da máquina que você escolher, a vantagem fica justamente na questão de licenciamento, quem recolhe e paga para a Microsoft é a AWS, você é apenas uma empresa que está usando uma imagem já pré-instalada, então sem stress quando a licenciamento;
  • Toda a administração do ambiente e com você, eles só deixam o SQL instalado e o resto é o trabalho de casa, desde restaurar o banco até todas as rotinas de manutenção.

RDS

  • Basicamente o SQL como serviço
  • você não loga na máquina, não tem nenhum acesso a estrutura onde o SQL está instalado
  • você não é SA nem faz parte da role de Sysadmin
  • você é owner dos seus bancos
  • todas as rotinas de manutenção do SO e algumas do SQL são geridas pela AWS.
  • é uma administração meio a meio

Vou tratar da comparação entre uma AMI e um RDS em outro post.

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

AWS – Redshift – Tráfego de dados
0 (0)

Imagine o seguinte cenário:

  • Você usa o Redshift como DW ou DL para seus relatório e cargas de dados;
  • Vê uma possibilidade de facilitar sua vida e dar liberdade para o próprio cliente acessar esses dados e gerar relatórios da forma que ele achar mais legal com a ferramenta que ele quiser, etc.;
  • Mas lembra que a AWS cobra pela saída de dados;
  • Procura no portal da AWS e descobre que eles não tem uma monitoração específica de quem está saindo com dados, mas eles acertam a cobrança… incrível…
  • Mas você não quer abandonar a ideia e quer ganhar alguma grana com isso..

O que vou mostrar não é a solução perfeita, ela carece de algumas melhorias mas já é um norte para ajudar nessa ideia…

O Redshift é um PostgreSQL modificado, então muita query em tabelas de sistema do PG funciona direitinho no Redshift…

Para esse cenário, você pode criar um pacote de integration services e rodar a query abaixo contra o Redshift:

select
	TRIM(q.DATABASE) AS DB,
	TRIM(u.usename) as usename,
	sum(bytes)/1024 as kbytes,
	sum(packets) as packets,
	date(b.starttime) as data
from
	stl_bcast b
join stl_query q ON
	b.query = q.query
	AND b.userid = q.userid
join pg_user u
on u.usesysid = q.userid
where
	packets>0
	and b.starttime >= dateadd(day, -7, current_Date)
	and datediff(seconds, b.starttime, b.endtime)>0
	--and u.usename like 'usr%'
	--and querytxt not like 'fetch%'
group by TRIM(q.DATABASE)
,u.usename
,date(b.starttime)

Essa query vai trazer a informação do volume em kb trafegado pela query executada.

Com isso, você consegue montar um report incremental e ratear o custo da saída de dados da AWS.

É 100%?, não,,, mas pelo menos já é alguma coisa já que a AWS não provê dados granularizados de quem consome a saída de dados.

novos códigos serão criados também em outro repositório:

https://github.com/bigleka

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

AWS – Redshift – Usuário para leituras
0 (0)

O Redshift tem umas vantagens bem interessantes, baixo custo, RDS, baixa necessidade de manutenção.

No fundo ele é um PostgreSQL modificado para prover volume de dados e não ficar trabalhando como OLTP, ele é ótimo como estrutura para DW.

Imagine o seguinte cenário, você vende uma solução mas precisa prover um acesso do seu cliente para que ele consiga acessar uma parte dos dados diretamente na sua estrutura de banco, para ele “ter a liberdade” de cruzar esses dados, montar estruturas de relatórios, etc. da forma que ele achar mais interessante, ou até mesmo exportar esses dados para uma estrutura dele e usar da forma que achar melhor.

Certo, temos várias formas de fazer isso, todas tem seus prós e contras, mas nesse caso vou usar como exemplo justamente o título do post, vamos colocar os dados no Redshift.

Então, você tem alguma forma de extração de dados incrementais (SSIS, Pentaho, Informática, estagiário, etc.) que leva os dados do seu OLTP para o Redshift e isso funciona bem.

Agora você precisa criar a estrutura de permissões para liberar o acesso do seu cliente para essa estrutura de dados.

Uma coisa muito importante : Todos os usuários do Redshift são exclusivos do banco de dados e não da instância, Então caso o cliente tenha mais de um banco ou você queira dar permissão para mais de um banco, siga o processo quantas vezes for necessário.

— Normalmente quando os objetos são criados no Redshift ele ficam armazenados no schema public.
— Isso não é um problema, o problema começa quando é criado um schema para armazenar um outro conjunto de objetos
— para um setor da empresa, ou um outro departamento…
— Quando isso acontece, o usuário owner da carga dos objetos tem acesso a essa estrutura de dados sem problema, mas novos usuários,
— ou usuários permissonalizados não tem a permissão para os objetos ou para novos objetos nesse schema.
— O script abaixo tente a sanar um cenário em que você quer liberar o acesso de select para os objetos e novo objetos em um schema pulic
— ou personalizado sem ter que ficar dando grant toda a vez que novos objetos são criados.
— Outra opção de uso é caso você tenha um Redshift na sua empresa e venda como serviço ele como datalake para algum cliente.
— dessa forma você consegue liberar um usuário para que o cliente acesse a estrutura de dados e consiga baixar os dados.

-- Normalmente quando os objetos são criados no Redshift ele ficam armazenados no schema public.
-- Isso não é um problema, o problema começa quando é criado um schema para armazenar um outro conjunto de objetos
-- para um setor da empresa, ou um outro departamento...
-- Quando isso acontece, o usuário owner da carga dos objetos tem acesso a essa estrutura de dados sem problema, mas novos usuários,
-- ou usuários permissonalizados não tem a permissão para os objetos ou para novos objetos nesse schema.
-- O script abaixo tente a sanar um cenário em que você quer liberar o acesso de select para os objetos e novo objetos em um schema pulic
-- ou personalizado sem ter que ficar dando grant toda a vez que novos objetos são criados.
-- Outra opção de uso é caso você tenha um Redshift na sua empresa e venda como serviço ele como datalake para algum cliente.
-- dessa forma você consegue liberar um usuário para que o cliente acesse a estrutura de dados e consiga baixar os dados.

-- criar um usuário
create user <username> with password ‘<password>’;

-- cria um grupo para receber as permissões
create group data_viewers;

-- adiciona o usuário ao grupo
alter group data_viewers add user <username>;

-- nesse caso remove a opção de criar objetos para os usuários do grupo
revoke create on schema public from group data_viewers;

-- atribui acesso no schema public ao grupo
grant usage on schema public to group data_viewers;

-- atribui select em todas as tabelas do schema public para o grupo
grant select on all tables in schema public to group data_viewers;

-- atribui acesso a futuros objetos do schema public para o grupo
alter default privileges in schema public grant select on tables to group data_viewers

novos códigos serão criados também em outro repositório:

https://github.com/bigleka

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

Telegram, Bot e PowerShell, uma máquina de alerta
5 (1)

Como DBA´s estamos sujeitos a jobs, alertas, sistemas, coisas do além, gerentes, desenvolvedores, intervenções místicas, etc. executando ações no banco de dados.

Não da pra ficar olhando de perto o ambiente a todo o momento analisando cada ação, monitorando tudo o que ocorre, se preparando para o pior.

Sendo um bom DBA, você deve ter um monte de Jobs, Alertas, Operadores, Sistemas de Monitoração, aquele estagiário sendo escalpelado, entre outras formas de monitorar seus bancos, a ideia aqui é trazer mais uma opção para atazanar sua vida monótona.

Vamos a receita do desastre,,, Para isso vamos precisar:

  1. Que você tenha uma conta no Telegram
  2. Instale o aplicativo do Telegram no seu Windows
  3. Crie um Bot
  4. Configure o Bot
  5. Crie um canal e adicione esse Bot como administrador a um canal
  6. Mande uma mensagem para esse canal para criar um ID
  7. Acesse uma URL do Telegram com a chave do BOT para pegar o ID do canal
  8. Crie uma função no Powershell
  9. Declare a variável com o nome do Bot e a chave
  10. Mande uma mensagem

Vamos começar,,,

Conta do Telegram

  • PQ está lendo essa parte? vai para a próxima,,, se não sabe fazer isso nem adianta continuar…

Instale o aplicativo do Telegram no seu Windows

  • Esse ponto é interessante, acesse o cliente web do Telegram e baixe a versão para seu SO, as configurações do Bot serão feitas através do cliente e não pelo celular ou Web

Crie um Bot

  • Com sua contra criada e app instalado, acesse essa URL https://t.me/BotFather . Ele é o Bot que cria os Bot´s
  • Para criar digite /start
  • Depois digite /newbot
  • De um nome para seu Bot
  • Agora crie um username para seu bot, ele tem que terminar com bot
  • Você vai receber uma mensagem de resposta com um textão e a parte que interessa que é o TOKEN. ANOTA ISSO!
  • Aqui vale uma dica, o Bot vai aparecer em pesquisa para qualquer pessoa que use o Telegram, mas só quem tem o token vai poder realmente usar ele.

Configure o Bot

  • Adicione uma descrição para ele, uma hora você ou alguém vai fazer manutenção e vai ter que lembrar para que ele serve
  • Usando /setdescription adicione uma descrição

Crie um canal e adicione esse Bot como administrador a um canal

  • Agora usando o cliente do SO, Web ou o app do celular, crie um canal no Telegram e deixe como privado.
  • Adicione um novo membro para esse canal, nesse caso o seu Bot, vai aparecer um alerta de que o Bot precisa ser administrador do canal e bla bla bla

Mande uma mensagem para esse canal para criar um ID

  • Só o fato de criar um canal não efetiva cria o canal, até esse momento ele não tem um ID
  • Mande uma mensagem qualquer para o canal para ele criar a estrutura com o ID

Acesse uma URL do Telegram com a chave do BOT para pegar o ID do canal

  • Após mandar a mensagem acesse a URL com o token do seu Bot
  • a URL é alguma coisa assim: https://api.telegram.org/bot<aquele token do seu Bot>/getUpdates
  • deixa escrito o nome bot, remove o < e o > e cola o token
  • deve abrir uma página com alguma coisa parecida com:
{"ok":true,"result":[{"update_id":129494597,
"message":{"message_id":3,"from":{"id":XXXXXX,"is_bot":false,"first_name":"Ricardo","last_name":"Leka"},"chat":{"id":XXXXXX,"first_name":"Ricardo","last_name":"Leka","type":"private"},"date":1614187816,"text":"/start","entities":[{"offset":0,"length":6,"type":"bot_command"}]}},{"update_id":129494598,
"message":{"message_id":4,"from":{"id":XXXXXX,"is_bot":false,"first_name":"Ricardo","last_name":"Leka","language_code":"pt-br"},"chat":{"id":XXXXXX,"first_name":"Ricardo","last_name":"Leka","type":"private"},"date":1614187832,"text":"/getchatid","entities":[{"offset":0,"length":10,"type":"bot_command"}]}},{"update_id":129494599,
"channel_post":{"message_id":2,"sender_chat":{"id":-XXXX,"title":"MC1_Notify","type":"channel"} ,"chat":{"id":-XXXX,"title":"Nome_Do_Canal","type":"channel"} ,"date":1614187878,"text":"teste"}}]}

O que interessa para nós é um desses últimos “id” que estão com um símbolo de menos na frente “id”:-XXXX

Crie uma função no Powershell

  • Agora a parte mágica, vamos usar um powershell para criar a função que vai conectar na API do Telegram e mandar a mensagem…
<#
.Synopsis
    Sends Telegram text message via Bot API
.DESCRIPTION
    Uses Telegram Bot API to send text message to specified Telegram chat. Several options can be specified to adjust message parameters.
.EXAMPLE
    $bot = "#########:xxxxxxx-xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx"
    $chat = "-#########"
    Send-TelegramTextMessage -BotToken $bot -ChatID $chat -Message "Hello"
.EXAMPLE
    $bot = "#########:xxxxxxx-xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx"
    $chat = "-#########"

    Send-TelegramTextMessage `
        -BotToken $bot `
        -ChatID $chat `
        -Message "Hello *chat* _channel_, check out this link: [TechThoughts](http://techthoughts.info/)" `
        -ParseMode Markdown `
        -Preview $false `
        -Notification $false `
        -Verbose
.PARAMETER BotToken
    Use this token to access the HTTP API
.PARAMETER ChatID
    Unique identifier for the target chat
.PARAMETER Message
    Text of the message to be sent
.PARAMETER ParseMode
    Send Markdown or HTML, if you want Telegram apps to show bold, italic, fixed-width text or inline URLs in your bot's message. Default is Markdown.
.PARAMETER Preview
    Disables link previews for links in this message. Default is $false
.PARAMETER Notification
    Sends the message silently. Users will receive a notification with no sound. Default is $false
.OUTPUTS
    System.Boolean
.NOTES
    Author: Jake Morrison - @jakemorrison - http://techthoughts.info/
    This works with PowerShell Versions 5.1, 6.0, 6.1
    For a description of the Bot API, see this page: https://core.telegram.org/bots/api
    How do I get my channel ID? Use the getidsbot https://telegram.me/getidsbot
    How do I set up a bot and get a token? Use the BotFather https://t.me/BotFather
.COMPONENT
   PoshGram - https://github.com/techthoughts2/PoshGram
.FUNCTIONALITY
    https://core.telegram.org/bots/api#sendmessage
    Parameters 					Type 				Required 	Description
    chat_id 				    Integer or String 	Yes 		Unique identifier for the target chat or username of the target channel (in the format @channelusername)
    text 						String 				Yes 		Text of the message to be sent
    parse_mode 					String 				Optional 	Send Markdown or HTML, if you want Telegram apps to show bold, italic, fixed-width text or inline URLs in your bot's message.
    disable_web_page_preview 	Boolean 			Optional 	Disables link previews for links in this message
    disable_notification 		Boolean 			Optional 	Sends the message silently. Users will receive a notification with no sound.
    reply_to_message_id 	    Integer 			Optional 	If the message is a reply, ID of the original message
#>
function Send-TelegramTextMessage {
    [CmdletBinding()]
    Param
    (
        [Parameter(Mandatory = $true,
            HelpMessage = '#########:xxxxxxx-xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx')]
        [ValidateNotNull()]
        [ValidateNotNullOrEmpty()]
        [string]$BotToken, #you could set a token right here if you wanted
        [Parameter(Mandatory = $true,
            HelpMessage = '-#########')]
        [ValidateNotNull()]
        [ValidateNotNullOrEmpty()]
        [string]$ChatID, #you could set a Chat ID right here if you wanted
        [Parameter(Mandatory = $true,
            HelpMessage = 'Text of the message to be sent')]
        [ValidateNotNull()]
        [ValidateNotNullOrEmpty()]
        [string]$Message,
        [Parameter(Mandatory = $false,
            HelpMessage = 'HTML vs Markdown for message formatting')]
        [ValidateSet("Markdown", "HTML")]
        [string]$ParseMode = "Markdown", #set to Markdown by default
        [Parameter(Mandatory = $false,
            HelpMessage = 'Disables link previews')]
        [bool]$Preview = $false, #set to false by default
        [Parameter(Mandatory = $false,
            HelpMessage = 'Sends the message silently')]
        [bool]$Notification = $false #set to false by default
    )
    #------------------------------------------------------------------------
    $results = $true #assume the best
    #------------------------------------------------------------------------
    $payload = @{
        "chat_id"                   = $ChatID;
        "text"                      = $Message
        "parse_mode"                = $ParseMode;
        "disable_web_page_preview"  = $Preview;
        "disable_notification"      = $Notification
    }#payload
    #------------------------------------------------------------------------
    try {
        Write-Verbose -Message "Sending message..."
        $eval = Invoke-RestMethod `
            -Uri ("https://api.telegram.org/bot{0}/sendMessage" -f $BotToken) `
            -Method Post `
            -ContentType "application/json" `
            -Body (ConvertTo-Json -Compress -InputObject $payload) `
            -ErrorAction Stop
        if (!($eval.ok -eq "True")) {
            Write-Warning -Message "Message did not send successfully"
            $results = $false
        }#if_StatusDescription
    }#try_messageSend
    catch {
        Write-Warning "An error was encountered sending the Telegram message:"
        Write-Error $_
        $results = $false
    }#catch_messageSend
    return $results
    #------------------------------------------------------------------------
}#function_Send-TelegramTextMessage

Declare a variável com o nome do Bot e a chave

  • Sendo simplista você vai precisar agora criar duas variáveis a com o nome do Token e o ID do chat
$bot = "token"
$chat = "-ID_do_chat"

Mande uma mensagem

  • Agora é só chamar a função e mandar a mensagem…
  • AAHH a máquina precisa ter acesso a internet.
  • Qualquer mensagem de erro a função vai tentar trazer a mensagem para te ajudar no troubleshooting.
$bot = "token"
$chat = "-ID_do_chat"
Send-TelegramTextMessage -BotToken $bot -ChatID $chat -Message "CASA CAIU"

Com isso agora temos um powershell que acessa uma API do Telegram e manda mensagem, junta isso em um JOB que é acionado por um alerta e vc tem o SQL ou outro sistema de monitoração mandando mensagens para seu celular.

Click to rate this post!
[Total: 1 Average: 5]

Liberar toda a memória do servidor
0 (0)

Todos sabemos que o SQL é um consumidor de memória frenético, quanto mais memória disponível mais memória ele vai reservar para ele.

O que é um desenho “by default”, ele sempre fará isso afinal de contas ele precisa alocar as páginas de dados do seu banco em algum lugar.

Para resolver todos os seus problemas, existe uma forma de liberar toda a memória disponível de uma só vez do seu servidor e não é parando o serviço do SQL.

Para isso, você vai precisar o Visual Studio instalado, vamos criar um novo projeto dele…

Importante! Abra o Visual Studio como administrador !

Novo projeto de linha de comando

Escreva o nome que quiser para o app

Copie e cole o código abaixo no projeto:

using System;
using System.Diagnostics;
using System.Runtime.InteropServices;

public class CriticalProcess
{
    [DllImport("ntdll.dll", SetLastError = true)]
    private static extern int NtSetInformationProcess(IntPtr hProcess, int processInformationClass, ref int processInformation, int processInformationLength);

    static void Main(string[] args)
    {
        int isCritical = 1;  // queremos que ele seja um processo crítico
        int BreakOnTermination = 0x1D;  // valor para BreakOnTermination (flag)

        Process.EnterDebugMode();  //acquire Debug Privileges

        // configurando o BreakOnTermination = 1 para o processo ativo
        NtSetInformationProcess(Process.GetCurrentProcess().Handle, BreakOnTermination, ref isCritical, sizeof(int));
    }
}

Se tudo ocorrer como esperado, dependendo da quantidade de memória do seu servidor isso pode demorar de alguns segundos a algumas horas.

Por mais que tenhamos criado uma aplicação de linha de comando a primeira parte do processo é bem gráfica e todos já tiveram o grande prazer de conhecer:

Ele vai gerar um DUMP de toda a memória para o arquivo de paginação e depois que a maquina reiniciar ele vai copiar esse arquivo de paginação para um arquivo chamado memory.dump

É só isso,,, execução e queda,,,

Agora falando sério: NUNCA !!!! JAMAIS !!!!! Simplesmente pegue o código de qualquer coisa que você encontra na internet e saia executando sem antes entender o que ele faz.

Esse exemplo é bem ridículo, mas imagina um script que você leu o por alto achando que vai resolver todos os seus problemas de backup, ou de fragmentação de índice e descobre que no meio tem um sp_msforeach_table com um sp_msforeach_db que trunca as tabelas, ou pior, alguém cria uma chave de criptografia e habilita TDE nas suas bases e depois força a remoção da chave,,,, a culpa é tão e somente sua! Você é o DBA é sua responsabilidade preservar os dados.

Tenha discernimento com o que você copia da internet e de onde copia essas informações.

SEMPRE LEIA e NUNCA EXECUTE DIRETAMENTE EM PRODUÇÃO !!!

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

Apagar arquivos de backup duplicados
0 (0)

Imagine o seguinte cenário:

Você tem sua rotina de backup (FULL, DIFF, LOG) que gera os arquivos de saída como por exemplo BKPFULL_BASE_XPTO_01_DE_04_20181105.bak e coisas parecidas com isso.

Sua ferramenta de backup copia esses arquivos para uma área de staging todos os dias, marcando os arquivo com o bit de arquivado, no dia seguinte você tem um step do job que procura por esses arquivos e apaga ele, afinal, já foram marcados como arquivados pelo software de backup.

Em um certo momento, alguma coisa aconteceu nessa rotina da ferramenta e ela não marcou os arquivos ou simplesmente não rodou.

Para não ficar sem espaço em disco você resolve apagar o arquivo mais antigo do backup deixando pelo menos o mais recente no disco, para um ambiente com poucas bases isso é tranquilo, imagine isso para um ambiente com algumas centenas de bases, em um final de semana prolongado, algumas bases com 3 ou 4 arquivos de backup, outras com apenas 1 arquivo.

O PowerShell abaixo faz um parse no nome do arquivo para agrupar pelo tipo do backup e o nome do banco, procura onde tem mais de uma entrada (imaginando que você separa isso por discos), remove do resultado o mais recente e apaga os mais antigos.

O script não é perfeito, ainda faltam alguns detalhes à serem melhorados, mas já é uma ajuda em casos como esse:

 


Get-ChildItem "X:\Backup\Disk02\" -file | where Name -match "._(\d{4})(\d{2})(\d{2})" | Where-Object {$_.Attributes -Eq "Normal"} | #Esse Atributo é o que o software de backup marca como retido, retire este Where-Object caso queira desconsiderar isso
select fullname, #@{N="DtFile";E={[DateTime]$_.BaseName.substring($_.BaseName.length -10).replace("_", "-")}},
@{N="FileWithoutDate";E={$_.BaseName.substring(0, $_.BaseName.length -18)}} |
group FileWithoutDate |
where Count -GE 2 |
%{ $_.Group | sort fullname,DtFile -Descending | select -skip 1} | %{Remove-Item $_.FullName -WhatIf}

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

Qual query está acessando qual arquivo do File Group?
0 (0)

As vezes temos operações de disco que chegam a gerar mensagens como a seguinte:

SQL Server has encountered 1 occurrence(s) of I/O requests taking longer than 15 seconds to complete on file [X:\Banco\Disk99\DataFiles\Arquivo_do_banco_X_FG_Y_Arquivo_75.ndf] in database [Banco_X] (254). The OS file handle is 0x0000000000009A18. The offset of the latest long I/O is: 0x00000030038000

Muitas vezes isso indica que o sistema de discos não está operando de forma satisfatória e está impactando alguma operação.

A query abaixo tenta ajudar a identificar qual operação DDL ou DML que estava acessando o arquivo naquele momento:

SELECT DB_NAME(mf.database_id) AS [Database]
,mf.physical_name
,r.io_pending
,r.io_pending_ms_ticks
,r.io_type
,fs.num_of_reads
,fs.num_of_writes
,ER.session_id
,ST.TEXT
FROM sys.dm_io_pending_io_requests AS r
INNER JOIN sys.dm_io_virtual_file_stats(NULL, NULL) AS fs ON r.io_handle = fs.file_handle
INNER JOIN sys.master_files AS mf ON fs.database_id = mf.database_id
AND fs.file_id = mf.file_id
INNER JOIN sys.dm_os_schedulers os ON r.scheduler_address = os.scheduler_address
INNER JOIN sys.dm_exec_requests AS ER ON os.scheduler_id = ER.Scheduler_id
CROSS APPLY sys.dm_exec_sql_text(ER.sql_handle) AS ST
ORDER BY r.io_pending_ms_ticks DESC;
go

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

SQL Skip Rules
0 (0)

As vezes entender os problemas de uma instalação ou remoção pode ser complicado.

Existem cenários em que um Reboot naquele momento não é uma opção, ou um host está totalmente degradado e você precisa forçar a remoção de um SQL já migrado e em estado Offline.

Se você executar o Setup normalmente ele vai fazer uma série de checagens como: necessidade de reboot, acesso ao registro remoto, WMI, .NET, etc.

Dependendo do que você precisa, algumas opções podem ser desconsideradas na instalação/remoção, vou colocar o arquivo onde contém todas as explicações de todas as opções possíveis.

ATENÇÃO, esta informação não é documentada, caso precise usar, faça por conta e risco.

Para usar qualquer uma das opções ou mais de uma opção:

  • SETUP /SkipRules=NoRebootPackage /Action=RemoveNode

Para ele não considerar mais de uma regra adicione um espaço entre elas.

  • SETUP /SkipRules=NoRebootPackage WmiServiceStateCheck /Action=RemoveNode

Abaixo vou listar todas as regras do documento para facilitar a pesquisa, mas aqui tem o documento para download com a explicação de cada uma delas.

Regra
ThreadHasAdminPrivilegeCheck
HasSecurityBackupAndDebugPrivilegesCheck
RebootRequiredCheck
WmiServiceStateCheck
AclPermissionsFacet
MediaPathLength
SetupCompatibilityCheck
NoRebootPackage
NoRebootPackageDownLevel
ServerCorePlatformCheck
ServerCore64BitCheck
ThreadHasAdminPrivilegeCheck
RebootRequiredCheck
WmiServiceStateCheck
AclPermissionsFacet
MediaPathLength
SetupCompatibilityCheck
NoRebootPackage
NoRebootPackageDownLevel
ServerCorePlatformCheck
ServerCore64BitCheck
Bids2008InstalledCheck
DenaliCTPbyCTPSxS
AclPermissionsFacet
FacetDomainControllerCheck
SSMS_IsInternetConnected
FacetWOW64PlatformCheck
FusionRebootCheck
Bids2008InstalledCheck
DenaliCTPbyCTPSxS
AclPermissionsFacet
FacetDomainControllerCheck
SSMS_IsInternetConnected
FacetWOW64PlatformCheck
IsFirewallEnabled
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
DEV10RTMDetected
ASSPIExistingFarmUnconfiguredWarningCheck
ASSPIInstanceNameNotInUseCheck
ASSPINewFarmConfiguredWarningCheck
ASSPIRequiresCompleteFarmCheck
ASSPIRequiresMossBitsCheck
ASSPIRequiresO14MossEnterpriseCheck
ASSPIRequiresO14MossSP1Check
SlipstreamMediaInfoCheck
PowerShellCheck
InternetConnectionToNETFX4DownloadSite
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
RS_IsDotNet3_5Installed
FAT32FileSystemCheck
InstanceClashRule
StandaloneInstall_HasClusteredOrPreparedInstanceCheck
BlockCrossLanguageInstall
BlockMixedArchitectureInstall
RS_DoesCatalogExist
RS_DoesCatalogTempDBExist
ASIsValidEditionForDeploymentModeCheck
FusionRebootCheck
Bids2008InstalledCheck
DenaliCTPtoCTPUpgrade
AclPermissionsFacet
FacetDomainControllerCheck
Cluster_IsOnlineIfClustered
SSMS_IsInternetConnected
FacetWOW64PlatformCheck
Cluster_DNS_Consistency_Rule
Cluster_IsWMIServiceOperational
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
YukonUpgradeSidRule
BlockCrossLanguageUpgrade
KatmiCTPupgradeToKilimanjaroBlockRule
KatmaiSlipstreamBuildToBuildUpgradeRule
RS_ValidDSN
RS_ValidDatabaseVersion
RS_ValidServerCollation
RS_NoCustomRenderingExtensions
RS_NoCustomSecurityExtensions
RS_NoCustomAuthExtensions
RS_ReportServerUnsupportedSecurityMode
RS_ReportManagerUnsupportedSecurityMode
RS_ReportServerClientCertificateRequired
RS_ReportManagerClientCertificateRequired
RS_RSServiceRunning
RSSHP_IsO12Installed
RSSHP_ReportServerVDirNotSupported
Engine_SqlServerServiceDisabled_Id
Engine_IsAweEnabledForX86
Engine_IsMinusHEnabledForX86
Engine_IsLPIMEnabledForX86
Engine_IsLPIMEnabledForX64
Engine_SqlEngineHealthCheck
Engine_AllSystemDatabasesAccessibleCheck
Engine_ResourceDLLUpdateRestartCheck
BlockMixedArchitectureUpgrade
Engine_ServiceAccountOnDomainCheck
Cluster_MultipleGroupsUpgradeRule
FeatureUpgradeMatrixCheck
IncompleteUpgradeCheck
FailedUpgradeCheck
LocalOnly_SqlFeatureStateCheck
LocalOnly_AsFeatureStateCheck
RsFeatureStateCheck
Cluster_FeatureDownGradeCheck
AS_IsServiceHealthy_Id
AS_UpgradeValidateMixedState
FAT32FileSystemCheck
DEV10RTMDetected
FacetWOW64ClusterUpgradeCheck
SlipstreamMediaInfoCheck
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
RSSHP_UpgradePreDenali
PowerShellCheck
RS_IsDotNet3_5Installed
KatmaiRTMUpgradeBlockRule
KJRTMUpgradeBlockRule
YukonSP3UpgradeBlockRule
SideBySideUninstallRule
BlockMismatchedArchitectureUninstall
UninstallClusterBlockCheck
SlipstreamMediaInfoCheck
Cluster_IsOnlineIfClustered
FacetWOW64PlatformCheck
Cluster_IsWMIServiceOperational
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
AS_IsClusterServiceOffline
Engine_SqlResourceIsOfflineIfCurrentNodeActive
SlipstreamMediaInfoCheck
ServerCoreNetFxCheck
PowerShellCheck
RS_IsDotNet3_5Installed
FacetDomainControllerCheck
Engine_SqlServerServiceDisabled_Id
Engine_IsAweEnabledForX86
Engine_IsMinusHEnabledForX86
Engine_IsLPIMEnabledForX86
Engine_IsLPIMEnabledForX64
Engine_SqlEngineHealthCheck
Engine_OnlySupportedFeaturesUsedCheckSystem
Engine_OnlySupportedFeaturesUsedCheckUser
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
EditionUpgradeMatrixCheck
EditionDownGradeCheck
Cluster_EditionDownGradeCheck
BlockMixedArchitectureUpgrade
SlipstreamMediaInfoCheck
UcpEditionDowngradeRule
Engine_IsAlwaysOnFeatureEnabled
MultiSubnetClusterUpgradeCheck
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
Engine_SqlServerServiceDisabled_RebuildDatabase
Engine_ResourceGroupIsActiveOnCurrentNode
Engine_SqlResourceIsOfflineIfCurrentNodeActive
FusionRebootCheck
Cluster_IsOnlineIfClustered
Cluster_IsWMIServiceOperational
Cluster_IsUserAdmin
Cluster_RemoteRegistryServiceFacet
Cluster_IsDomainController
SSMS_IsInternetConnected
IsDomainNetworkTopOfBindings
IsFirewallEnabled
Cluster_DNS_Consistency_Rule
FacetWOW64SetupCheck
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
ClusterPrepare_HasClusteredInstanceCheck
ClusterSupportCheck
ClusterFeaturesCheckForBI
Engine_FilestreamRequiredHotfixesCheck
Engine_ResourceDLLUpdateRestartCheck
FAT32FileSystemCheck
InstanceClashRule
SlipstreamMediaInfoCheck
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCorePlatformCheck
ServerCore64BitCheck
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
DEV10RTMDetected
PowerShellCheck
RS_IsDotNet3_5Installed
FusionRebootCheck
Cluster_IsMachineClustered
Cluster_IsWMIServiceOperational
Cluster_IsUserAdmin
Cluster_IsOnline
Cluster_IsDTCInstalled
Cluster_IsDTCRunning
Cluster_IsDTCClustered
Cluster_VerifyForErrors
Cluster_VerifyForWarnings
Cluster_Prepped_Instance
Cluster_RemoteRegistryServiceFacet
Cluster_IsDomainController
Cluster_DNS_Consistency_Rule
FacetWOW64SetupCheck
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
Cluster_NumberOfNodes
Cluster_FailedPreppedInstance
Cluster_ClusteredInstance
Cluster_IsDomainController
SqlFeatureStateCheck
AsFeatureStateCheck
IsSqlInstanceIdConsistentCheck
IsAsInstanceIdConsistentCheck
IsSqlVersionConsistentCheck
IsAsVersionConsistentCheck
IsSqlEditionConsistentCheck
IsAsEditionConsistentCheck
SlipstreamMediaInfoCheck
Cluster_SharedDiskFacet
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
Engine_FilestreamConfigurationCheck
MultiSubnetClusterOSCheck
MultiSubnetClusterSkuCheck
FusionRebootCheck
Cluster_IsMachineClustered
Cluster_IsWMIServiceOperational
Cluster_IsUserAdmin
Cluster_IsOnline
Cluster_IsDTCInstalled
Cluster_IsDTCRunning
Cluster_IsDTCClustered
Cluster_VerifyForErrors
Cluster_VerifyForWarnings
Cluster_RemoteRegistryServiceFacet
Cluster_IsDomainController
SSMS_IsInternetConnected
IsDomainNetworkTopOfBindings
IsFirewallEnabled
Cluster_DNS_Consistency_Rule
FacetWOW64SetupCheck
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
ClusterSupportCheck
ClusterFeaturesCheckForBI
Cluster_SharedDiskFacet
PowerShellCheck
DEV10RTMDetected
SlipstreamMediaInfoCheck
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
RS_IsDotNet3_5Installed
InstanceClashRule
FAT32FileSystemCheck
Engine_ResourceDLLUpdateRestartCheck
Engine_FilestreamRequiredHotfixesCheck
FusionRebootCheck
Cluster_IsMachineClustered
Cluster_IsWMIServiceOperational
Cluster_IsUserAdmin
Cluster_IsOnline
Cluster_IsDTCInstalled
Cluster_IsDTCRunning
Cluster_IsDTCClustered
Cluster_VerifyForErrors
Cluster_VerifyForWarnings
Cluster_RemoteRegistryServiceFacet
Cluster_IsDomainController
SSMS_IsInternetConnected
IsDomainNetworkTopOfBindings
IsFirewallEnabled
Cluster_DNS_Consistency_Rule
FacetWOW64SetupCheck
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
Cluster_NumberOfNodes
SqlFeatureStateCheck
AsFeatureStateCheck
AddNodeEditionBlock
Engine_FilestreamRequiredHotfixesCheck
Engine_ResourceDLLUpdateRestartCheck
FAT32FileSystemCheck
InstanceClashRule
DEV10RTMDetected
SlipstreamMediaInfoCheck
MultiSubnetClusterOSCheck
MultiSubnetClusterSkuCheck
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
PowerShellCheck
RS_IsDotNet3_5Installed
FusionRebootCheck
Cluster_IsMachineClustered
Cluster_IsWMIServiceOperational
Cluster_IsUserAdmin
Cluster_IsOnline
Cluster_RemoteRegistryServiceFacet
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
FusionRebootCheck
SysPrepFeatureCheck
Bids2008InstalledCheck
SSMS_IsInternetConnected
AclPermissionsFacet
FacetDomainControllerCheck
FacetWOW64PlatformCheck
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
BlockMixedArchitectureInstall
BlockCrossLanguageInstall
FAT32FileSystemCheck
Unconfigured_SqlFeatureStateCheck
Unconfigured_AsFeatureStateCheck
Unconfigured_RsFeatureStateCheck
PowerShellCheck
SlipstreamMediaInfoCheck
InternetConnectionToNETFX4DownloadSite
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
ServerCorePlatformCheck
ServerCore64BitCheck
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
PowerShellCheck
RS_IsDotNet3_5Installed
SSMS_IsInternetConnected
IsFirewallEnabled
AclPermissionsFacet
FacetDomainControllerCheck
FacetWOW64PlatformCheck
ServerCoreBlockUnsupportedSxSCheck
EditionUpgradeMatrixCheck
EditionDownGradeCheck
FAT32FileSystemCheck
InstanceClashRule
ServerCoreBlockUnsupportedFeaturesCheck
ServerCoreNetFxCheck
Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]