Testar Porta


Vocês sabem que se quiser testar uma porta TCP um dos métodos mais simples é basicamente um telnet Nome/IP porta.
Se o prompt sumir e o cursor ficar piscando a porta está respondendo (claro,, tirando todas as implicações de liberação de firewall e blá blá blá)
Eu precisava ficar fazendo um teste mais dinâmico, já que o telnet estabelece a conexão e espera uma intervenção para continuar eu queria apenas saber se a porta esta aberta ou não, estávamos tentando identificar uma falha se era no serviço ou na rede.open door
o script abaixo fica estabelecendo uma comunicação em um intervalo definido usando o socket TCP/IP estão podemos testar TCP e UDP bem no nível da camada e não da aplicação.
ele é bem simples, em qualquer momento que a porta não responda ele coloca a cor de fundo como vermelho.

function TestPort
{
    Param(
        [parameter(ParameterSetName='ComputerName', Position=0)]
        [string]
        $ComputerName,

        [parameter(ParameterSetName='IP', Position=0)]
        [System.Net.IPAddress]
        $IPAddress,

        [parameter(Mandatory=$true , Position=1)]
        [int]
        $Port,

        [parameter(Mandatory=$true, Position=2)]
        [ValidateSet("TCP", "UDP")]
        [string]
        $Protocol
        )

    $RemoteServer = If ([string]::IsNullOrEmpty($ComputerName)) {$IPAddress} Else {$ComputerName};

    If ($Protocol -eq 'TCP')
    {
        $test = New-Object System.Net.Sockets.TcpClient;
        Try
        {
            Write-Host "Connecting to "$RemoteServer":"$Port" (TCP)..";
            $test.Connect($RemoteServer, $Port);
            Write-Host "Connection successful" -BackgroundColor Green;
        }
        Catch
        {
            Write-Host "Connection failed" -BackgroundColor Red;
        }
        Final
        {
            $test.Dispose();
        }
    }

    If ($Protocol -eq 'UDP')
    {
        $test = New-Object System.Net.Sockets.UdpClient;
        Try
        {
            Write-Host "Connecting to "$RemoteServer":"$Port" (UDP)..";
            $test.Connect($RemoteServer, $Port);
            Write-Host "Connection successful" -BackgroundColor Green;
        }
        Catch
        {
            Write-Host "Connection failed" -BackgroundColor Red;
        }
        Final
        {
            $test.Dispose();
        }
    }
}

A forma de testar ele é bem simples:

TestPort -ComputerName Nome/IP -Port 1433 -Protocol TCP 

Legal né? só que eu precisava ficar fazendo testes direto e reto e da forma acima ele não é um looping…
logo, para fazer da forma mais simples que conheço ficou assim:

$servidor = "Nome/IP"
while (1) {
    get-date #só pra saber quando executou
    TestPort -ComputerName $servidor -Port 1433 -Protocol TCP 
    sleep -seconds 1 #tempo de espera entre as execuções
} 

Gerar scripts de bases


Esse script é uma modificação de um script do simple-talk apenas adicionar a opção de função para facilitar a vida

o importante para este script funcionar é:

  1. criar um diretório com o nome Script-DBObjectsIntoFolders dentro do diretório C:\Windows\System32\WindowsPowerShell\v1.0\Modules\
  2. Salvar este script com o nome Script-DBObjectsIntoFolders.psm1
  3. Usando o powershell digitar import-module Script-DBObjectsIntoFolders

 


#https://www.simple-talk.com/sql/database-administration/automated-script-generation-with-powershell-and-smo/

function global:Script-DBObjectsIntoFolders([string]$server, [string]$dbname, [string]$DirectoryToSave){

# set "Option Explicit" to catch subtle errors
set-psdebug -strict
$DirectoryToSaveTo=$DirectoryToSave # local directory to save build-scripts to
$servername=$server # server name and instance
$Database=$dbname # the database to copy from
$ErrorActionPreference = "stop" # you can opt to stagger on, bleeding, if an error occurs
Trap {
# Handle the error
$err = $_.Exception
write-host $err.Message
while( $err.InnerException ) {
$err = $err.InnerException
write-host $err.Message
};
# End the script.
break
}
# Load SMO assembly, and if we're running SQL 2008 DLLs load the SMOExtended and SQLWMIManagement libraries
$v = [System.Reflection.Assembly]::LoadWithPartialName( 'Microsoft.SqlServer.SMO')
if ((($v.FullName.Split(','))[1].Split('='))[1].Split('.')[0] -ne '9') {
[System.Reflection.Assembly]::LoadWithPartialName('Microsoft.SqlServer.SMOExtended') | out-null
}
$My='Microsoft.SqlServer.Management.Smo'
$s = new-object ("$My.Server") $ServerName # get the server.
$Server=$s.netname -replace '[\\\/\:\.]',' ' # remove characters that can cause problems
$instance = $s.instanceName -replace '[\\\/\:\.]',' ' # ditto
$DatabaseName =$database -replace '[\\\/\:\.]',' ' # ditto
$DirectoryToSaveTo=$DirectoryToSaveTo+$Server+'\'+$Instance+'\' # database scripts are local on client
if (!( Test-Path -path "$DirectoryToSaveTo" )) # create it if not existing
{$progress ="attempting to create directory $DirectoryToSaveTo"
Try { New-Item "$DirectoryToSaveTo" -type directory | out-null }
Catch [system.exception]{
Write-Error "error while $progress. $_"
return
}
}
<# now we will use the canteen system of SMO to specify what we want from the script. It is best to have a list of the defaults to hand and just override the defaults where necessary, but there is a chance that a later revision of SMO could change the defaults, so beware! #>
$CreationScriptOptions = new-object ("$My.ScriptingOptions")
$CreationScriptOptions.ExtendedProperties= $true # yes, we want these
$CreationScriptOptions.DRIAll= $true # and all the constraints
$CreationScriptOptions.Indexes= $true # Yup, these would be nice
$CreationScriptOptions.Triggers= $true # This should be included when scripting a database
$CreationScriptOptions.ScriptBatchTerminator = $true # this only goes to the file
$CreationScriptOptions.Filename = "$($DirectoryToSaveTo)$($DatabaseName)_Build.sql";
# we have to write to a file to get the GOs
$CreationScriptOptions.IncludeHeaders = $true; # of course
$CreationScriptOptions.ToFileOnly = $true # no need of string output as well
$CreationScriptOptions.IncludeIfNotExists = $true # not necessary but it means the script can be more versatile
$transfer = new-object ("$My.Transfer") $s.Databases[$Database]
$transfer.options=$CreationScriptOptions # tell the transfer object of our preferences
$scripter = new-object ("$My.Scripter") $s # script out the database creation
$scripter.options=$CreationScriptOptions # with the same options
$scripter.Script($s.Databases[$Database]) # do it
"USE $Database" | Out-File -Append -FilePath "$($DirectoryToSaveTo)$($DatabaseName)_Build.sql"
"GO" | Out-File -Append -FilePath "$($DirectoryToSaveTo)$($DatabaseName)_Build.sql"
# add the database object build script
$transfer.options.AppendToFile=$true
$transfer.options.ScriptDrops=$true
$transfer.EnumScriptTransfer()
$transfer.options.ScriptDrops=$false
$transfer.EnumScriptTransfer()
"All written to $($DirectoryToSaveTo)$($DatabaseName)_Build.sql"
}

Tocador de MP3 usando powershell


Agora no final da tarde tive uma ideia,,, será que da pra montar um tocador de mp3 usando powershell ??

a resposta:


$mediaPlayer = New-Object system.windows.media.mediaplayer
$path = "L:\arquivos\musicas" #nao esqueca de trocar aqui o caminho do diretorio das suas musicas
$files = Get-ChildItem -path $path -include *.mp3 -recurse

foreach($file in $files)
{
 "Tocando $($file.BaseName)"
 $mediaPlayer.open([uri]"$($file.fullname)")
 $mediaPlayer.Play()
 Start-Sleep -Seconds 30 #tem que especificar um tempo para ele tocar, estou tentando melhorar esta parte
 $mediaPlayer.Stop()
}

não é perfeito,, ainda estou trabalhando no fato de ter que colocar o tempo manualmente de espera… estou vendo se no objeto mediaplayer ele tem como contar o tempo total da musica e adicionar como sleep.. se conseguir eu atualizo o código…

Passado um tempo…. peguei esse código para uma revisitada… agora ele consegue tocar a música por completo,,,


Add-Type -AssemblyName PresentationCore
$_MediaPlayer = New-Object System.Windows.Media.MediaPlayer
$_Diretorio = 'C:\Users\Public\Music\Sample Music' #Nao esqueca de trocar este caminho
$_Arquivos = Get-ChildItem -path $_Diretorio -include *.mp3 -recurse
$duracao = $null
foreach($_arquivo in $_Arquivos){
"Tocando $($_arquivo.BaseName)"
[uri]$_musica = $_arquivo.FullName
do {
$_MediaPlayer.Open($_musica)
$_musicaDuracao = $_MediaPlayer.NaturalDuration.TimeSpan.TotalMilliseconds
}
until ($_musicaDuracao)
$_MediaPlayer.Volume = 1
$_MediaPlayer.Play()
Start-Sleep -Milliseconds $_musicaDuracao
$_MediaPlayer.Stop() #caso você pare o powershell e continue tocando execute estas 2 últimas linhas
$_MediaPlayer.Close() # selecione-as e pressione F8
}

Executar teste de MX usando Powershell


Algumas vezes ajudo o pessoal de mensageria a arrumar algumas configurações de DNS ou procurar as causas de um anti-spam ter ou não bloqueado alguma mensagem,,,

Basicamente tudo começa com a análise do cabeçalho da mensagem e as configurações de DNS do remetente…

O processo em sí é bem simples, mas toma um tempo em ficar fazerndo as pesquisas de DNS como conectar em um servidor de DNS, ver se o domínio é valido, se tem SPF se tem MX, se o IP do MX é um A válido, etc. etc. etc….

resolvi diminuir um pouco esse trabalho e montei um script em Powershell para ajudar a fazer uma parte dessas consultas…

ele não está 100%,,,, ainda apresenta uma ou outra falha dependendo do domínio,,, mas já ajuda em uns 90% dos casos…

#domínio que você quer consultar
$procurar = "leka.com.br"

#servidor de DNS que utilizaremos para consulta do DNS
$DNSserver = "4.2.2.2"

#localiza os registros de MX do domínio
$MXs = Resolve-DnsName $procurar -Type MX -Server $DNSserver | Select-object -ExpandProperty NameExchange

#localiza o registro TXT para ajudar a ver o SPF
$TXT = Resolve-DnsName $procurar -Type TXT -Server $DNSserver | Select-object -ExpandProperty Strings

Write-Host Consultas utilizando = $DNSserver
Write-Host $procurar
Write-Host SPF = $TXT

foreach($MX in $MXs)
{
#Verifica se o registro de MX possui uma entrada A
$IPA = Resolve-DnsName $MX -Type A -Server $DNSserver #| Select-Object -ExpandProperty IP4Address
foreach($IP in $IPA.IP4Address)
{

#Verifica se o IP da entrada A possui um reverso tipo A
$PTR = Resolve-DnsName $IP -Type PTR -Server $DNSserver | Select-Object -ExpandProperty NameHost

#Verifica se o A do reverso é valido
If(Resolve-DnsName "$PTR" -type A -Server $DNSserver )
{
$ok = $IPA.Name, $IP, $PTR
$ok | Select-Object @{N="MX";E={$IPA.Name}}, @{N="IP";E={$IP}}, @{N="Reverso";E={$PTR}}, @{N="Status";E={"A Valido"}} -Unique
}
else
{
$falha = $IPA.Name, $IP, $PTR
$ok | Select-Object @{N="MX";E={$IPA.Name}}, @{N="IP";E={$IP}}, @{N="Reverso";E={$PTR}}, @{N="Status";E={"A Invalido"}} -Unique
}
}

}

A idéia é bem simples:

  • coloca-se o domínio que vamos pesquisar e um servidor de DNS que será usado para executar a pesquisa das informações..
  • verifico se existe MX para esse domínio
  • localizo a entrada TXT e você vê as configurações de SPF, não sabe o que é SPF ? leia um pouco aqui.
  • Verifico que o MX tem um registro A
  • Verifico se IP do registro A tem um PTR (DNS reverso)
  • testo se o PTR aponta para um A válido.

Ainda estou trabalhando para melhorar o tratamento de erro em algumas partes do script, mas só isso já ajuda a identificar alguns problemas…

Para uma próxima versão espero conseguir fazer testes de relay e fazer uma análise entre os registros de SPF e os IP´s informados de MX para saber se são validos… mas isso está sendo um pouco mais complicado….

Procurar por arquivos duplicados usando PowerShell


Um colega de trabalho estava precisando de ajuda para vasculhar em disco com 1TB por arquivos repetidos para poder apagar…

existem vários programas gratuitos que fazem isso,,

mas, vamos fazer da forma mais legal… o bom e velho PowerShell…

a idéia é pegar e comparar o Hash de MD5 dos arquivos e mostrar apenas quando aparecerem mais de uma vez…

Para deixar simples, na linha 3 troque para o diretório que você quer que ele pesquise.

Na linha 4 coloque o local e o arquivos onde o resultado será salvo

ele vai armazenar o nome do arquivo, locallização completa, data da criação, data da modificação, tamanho e o Hash do MD5.

depois você pode editar o arquivo no excel e escolher quais quer deixar e os que você vai apagar…


function get-md5hash {[System.BitConverter]::ToString((new-object -TypeName System.Security.Cryptography.MD5CryptoServiceProvider).ComputeHash([System.IO.File]::ReadAllBytes($args)))}

$procurar = "e:\teste"
$resultado = "e:\teste\teste.csv"
Get-ChildItem $procurar -Recurse|`
?{!$_.psiscontainer}|`
Select-Object Name,Fullname,CreationTime,LastWriteTime,Length,@{Name="MD5";Expression={Get-md5hash $_.fullname}}|`
group MD5|?{$_.Count -gt 1}|%{$_.Group}|sort MD5|`
Export-Csv $resultado -NoTypeInformation -Encoding "Unicode"

Vamos estressar memória


Vamos estressar um pouco de memória?

Seguindo a mesma idéia do post anterior, esse script em powershell server para estressar memória, gerando alocação em variável de letras ‘a’ em blocos de 128MB.

Dependendo da sua configuração, isso pode gerar grande stress de disco na unidade onde o page file está alocado…


$mem_total =[int](
Get-WMIObject -class Win32_PhysicalMemory |
Measure-Object -Property capacity -Sum |
ForEach-Object {[math]::round(($_.Sum / 1GB - 2),2)}) #memoria total da maquina –2GB
$mem_stress = @()
$mem_loop = $mem_total * 8 #multiplica pq o tamanho da alocacao e 128mb
$i = 0
while ($i -le $mem_loop)
{

$mem_stress + ("a" * 128MB)
Start-Sleep -s 1
write-host $i
$i++
}

Basicamente não precisa deixar rodar até o final,,, apenas comece e pare a execução,,,

na pior das situações você terá que finalizar o processo do powershell pelo gerenciador de tarefas,,,

sempre lembrando,,, quer emoção? faça em produção,,,, depois não reclama se alguém brigar com você… Smiley piscando

Converter a instalação x86 em x64 do SQL 2008R2/2012


pinoquioAcho que uma das piores coisas é chegar em um cliente e ver que ele tem recurso de Hardware mas alguém fez a infelicidade de instalar o SQL x86 ao invés de instalar a opção x64…

Isso porque o cara tem que escolher explicitamente a instalação x86,,,

Aí você pergunta para o infeliz o motivo da escolha e ele responde que ou não sabe a diferença, ou que como o sistema dele é todo x86 ele instalou o banco desta forma para manter compatibilidade…

bom,,, não importa qual a desculpa,,, tem uma forma de alterar a instalação feita e converter o executável do serviço de x86 para x64,,,

para SER BEM CLARO não faça isso no seu ambiente de produção SEM TESTAR antes,,, é por sua total conta e risco…

vamos usar o powershell para executar uma chave encriptada,,, essa chave vai alterar algumas informações de chaves de registro que o executável do serviço do SQL utiliza para carregar os binários para o SQLOS .

$Key = (1..16)
$chave = ('76492d1116743f0423413b16050a5345MgB8ADYANwBTAEIAegBrADQASwBQAFEAKwBjAEUAMABaAE0AdgBiAFIARABMAEEAPQA9AHwANwAyADIANQBkADMANABjADUAYQAwAGUAMgAxADEAYQA1AGQAYQAyADIANAAwADYAYwAyADIAMQAwADIAZQA5AGMAOAA2ADAAZgA0ADIAOABlAGIAYwBlADEAYQA1AGIAZQBhADcAYgA5ADEAZAA3AGIAYQA4ADQAYwA3ADMAYQA=')
$chave1 = convertto-securestring $chave -key $key
Start-Sleep -s 5
$a = new-object -comobject wscript.shell
$b = $a.popup([Runtime.InteropServices.Marshal]::PtrToStringAuto([Runtime.InteropServices.Marshal]::SecureStringToBSTR($chave1)),0,”Conversao de x32 para x64”,1)
(new-object -com SAPI.SpVoice).speak($chave1)

Boas modificações !!!